FANDOM


É um Megatron engenhoso, talvez mais até do que o megalomaníaco e maquiavélico Megatron Clássico. Embora os dois tenham entrado em uma espécie de cooperação anônima...

Inicialmente, o vemos perseguir a ambição simplória de estar atrás de cristais de Energon bruto. Mas embora aparentemente, não soubesse de antemão dos planos do Megatron Clássico, eles estavam arraigados dentro do projeto da nave roubada por Megatron (BW): a Darksyde. Ela é equipada com a tecnologia Transwarp. Algo equivalente à ponte Temporal que Lockdown (Rise of Dark Spark) tentou construir.

Ao roubar junto, o Disco Dourado, ele carregava esses planos consigo, até analisar todos os dados contidos dentro do mesmo (Disco Dourado de Cybertron). Megatron (Clássico) financiou o desenvolvimento da tecnologia (Transwarp) para que caso perdesse a grande guerra, seus descendentes (os Predacons) pudessem tentar mudar o rumo da guerra e da história. Seu chará (ou alguém que adota sua alcunha?) abraça esta missão. Tendo suas próprias experiências e motivações.

Megatron é um fugitivo criminoso de Cybertron, indo contra a vontade até mesmo do alto conselho Tripredacus. Que embora tenha seus próprios planos para se libertar do julgo da Pax Cybertronia (que não deixa de ser uma soberania dos Maximals sobre os Predacons), ficam preocupados com o chamariz levantado por Megatron. O que os motiva enviar seu novo agente da Polícia Secreta Predacon: Ravage, o mesmo que fora o mascote de Soundwave e Megatron, para controlar, e abafar o caso.

Vemos então, que Tarantulas era muito mais do que um cientista maluco que ficava enclausurado em seu covil fazendo seus próprios planos, à parte de Megatron (conseguindo espionar suas operações, Megatron envia Blackarachnia como uma infiltrada em seus planos, mas que começa a agir autônomamente, se tornando mais uma espécie de agente dupla), ele era um espião à paisana que conseguiu se infiltrar na embarcação rebelde de Megatron.

Tendo seu plano político mais ambicioso falhado (desenvolvido por toda segunda temporada, culminando em seu final, na trilogia "The Agenda"), na terceira temporada, Megatron se volta mais para o estilo cientista maluco (Tarantulas oficialmente rompeu com Megatron a maior parte da temporada, exceto quando os dois voltam como "sócios", na tentativa de Megatron se tornar um Transmetal 2, roubando a Centelha do Megatron Original). Isso porque a tecnologia Transmetal surgiu como um acidente, da interação entre a tecnologia The Vok, e os corpos Cybertronianos. Já a tecnologia Transmetal 2 é artificial, resultado premeditado do desenvolvimento deliberado empreendido por Megatron (o caso mais acidental é o de Optimal Optimus. Neste e no caso do próprio Megatron, há controvérsias se são de fato casos de Transmetal 2, pois são bem diferentes dos de Dinobot 2, Cheetor e Blackarachnia), que ele experimenta primeiro em Dinobot 2 (através de um drive alienígena encontrado por ele, e talvez modificado também), daonde Cheetor também é promovido a Transmetal 2. Blackarachnia, esperta, entra na onda e aplica a mesma tecnologia nela mesma.

No universo extendido (e obscuro) dos brinquedos, diferente dos Fuzors, que assim como os Transmetais 1, surgem por acidente, Megatron em sua série de experiências, acaba desenvolvendo a raça bizarra dos Mutantes. Temos uma breve referência nomial dos mesmos no episódio Transmutate. No entanto, na definição dos toys, quem se assemelha mais com os Mutantes é Noble, que só aparece em Beast Machines (um transformer que muda de uma forma orgânica para outra)